Sobre a Saudade

21 08 2009

Saudades. Quem nunca sentiu? A saudade é a lembrança de um momento. Uma lembrança tão perto de algo que provavelmente já está longe. A memória de momento efêmero que vem à cabeça e desperta reações químicas no nosso corpo e, por não entendermos muito bem, chamamo-na de saudade. Ela vem daquilo que um dia vivemos e amamos – ninguém tem saudade do sofrimento – e parece trazer consigo o sentimento que ocorria naquela exata situação. E assim, o momento e sentimento efêmeros eternizam-se. Ao ver uma foto, sentir um cheiro, ouvir uma música: o momento torna e retorna, num ciclo infindo de sentimentos. Ênfase: a saudade eterniza. Tudo isso contou-me o magnífico Rubem Alves em um de seus livros que descreve o amor e seus princípios.
(E quando cito o amor, refiro-me ao sentimento construído e duradouro, não a mera paixão. Merece um post)





A Beleza e a Não-Beleza

20 08 2009

Fotos importadas 00240Eu observo as pessoas que conheço. Muitas delas, à primeira vista, são lindas. Lindas por fora. Outras, entretanto, já não possuem aquilo que poderíamos chamar de “beleza”. Beleza no sentido físico e material – aquela que a gente perde fácil. Mas quando a gente as conhece melhor e identifica-se com os valores e pensamentos, essas pessoas tornam-se lindas. E o contrário também acontece. Tenho uma colega que a maioria das pessoas acham bonita. Porém, depois de um tempo, meus amigos dizem-me que o jeito da pessoa se comportar e se mexer e falar e e e , fazem-na horrível…

É. Eu tenho uma preferência pelos que não passaram direito pela fila da beleza física, lá no céu, antes de nascer. Eu também sou assim. Esqueci-me de passar por lá! Então, prezo por outros valores, que não o da beleza efêmera. Apesar de eu ter muitos conflitos internos (sou mulher, tenho TPM, sei que os homens são excitáveis muito facilmente pelo físico), eu tento – de todas as formas, evitar que este mundo de futilidade e efemeridade tome conta de mim. Quando eu morrer, não gostaria que as pessoas lembrassem de mim desta forma: “que pena, tinha uns peitãããããããão!!!”… Mas assim: “aquela menina tinha um bom coração. Vai fazer falta a sua presença. Fica a saudade.” 

A saudade eterniza. Depois aprofundar-me-ei neste assunto.